Kevin Spacey, o passado te condena

Estreante no Carnaval carioca, o ator norte-americano Kevin Spacey chegou à Sapucaí acompanhado por um amigo e três assessores.

Muito assediado, Spacey foi direto assistir ao desfile das escolas de samba. Kevin Spacey passou cinco dias no Brasil, no ano de 2009, foi sua primeira e única visita ao País.

Foi direto do aeroporto para o camarote da Brahma, na Marquês de Sapucaí. Levado à varanda para conferir a passagem da Grande Rio no sambódromo, “ele ficou visivelmente boquiaberto com a performance dos sambistas.”

Depois de observar a apresentação, foi atrás de uma cerveja e seguiu para o restaurante para jantar. Lá, pediu para não ser incomodado.

O ator, duas vezes vencedor do Oscar muito assediado durante sua passagem pelo carnaval carioca, foi acusado de ter assediado, sexualmente, o ator Anthony Rapp, quando este tinha apenas 14 anos de idade, há 30 anos atrás. Spacey, então com 26 anos, convidou o menor de idade, para uma festa em sua casa, esperou que os outros fossem embora e tentou seduzir o jovem à força. O jovem trancou-se no banheiro e nada aconteceu. Uma grave denúncia.

Parece muito tempo para a maioria das pessoas, mas para Rapp, não. Segundo Einstein: “A distinção entre passado, presente e futuro é apenas uma ilusão teimosamente persistente.” Talvez para Anthony, os ditos momentos de terror, sejam recorrentes no seu pensamento, algo que ainda é presente.

A denúncia do ator de Star Trek abriu a porteira. Outros esqueletos no armário foram descobertos: Uma mãe de Massachusetts acusou Spacey, nesta semana, de ter abusado sexualmente de seu filho de 18 anos na ilha de Nantucket no ano passado. Oito membros da equipe de House of Cards afirmaram ser vítimas do ator, assim como o filho do ator Richard Dreyfuss, que revelou que Kevin o “apalpou” quanto ele tinha 18 anos. O cineasta Tony Montana disse que foi agarrado pelo ator em um bar de Los Angeles, em 2003.

Relatos semelhantes envolvendo outras celebridades hollywoodianas vieram à tona.

Dustin Hoffman foi acusado pela produtora Wendy Riss de tê-la assediado em 1991, o que teria sido para ela uma “fonte de tormentos.”

Em uma entrevista dada à revista “Times” em 1979, a atriz Meryl Streep acusou, o mesmo ator, Dustin Hoffman, de assédio no dia em que se conheceram.” Ele veio até mim e disse: Eu sou Dustin(arrotou) e colocou a mão dele no meu seio.”

A roteirista Jessica Teich acusou o ator Richard Dreyfuss de assédio sexual durante três anos da década de 1980.

Todos esses relatos são verdadeiros? Podemos inventar, também o passado. recriá-lo com conveniência. Se houve algum tipo de reciprocidade? Nunca saberemos, tudo pode ser manipulado.

Spacey soltou um comunicado pedindo “sinceras desculpas”, dizendo que não se lembrava do caso. Se desculpou por algo que não se lembrava?! E ainda buscou ajuda psicológica. Foi internado em um luxuoso centro de reabilitação na vila Wickenburg, no Arizona.

Spacey estaria pagando U$ 36 mil (cerca de R$ 118 mil) por mês no local, que seria considerado o melhor programa contra vício em sexo dos Estados Unidos. Por lá passaram celebridades como Tiger Woods, Elle MacPherson, Kate Moss.

Memórias de dor? Indenizações milionárias em jogo? Caça às bruxas? Busca de notoriedade? Passado falsificado? Qual o limite de uma abordagem?

Talvez no futuro, que assim como o passado – é uma ficção, encontremos as respostas, para as acusações que condenaram ao ostracismo um dos maiores atores da atualidade.

Comentários

Comentários