Um país sem alvará

O carro “Um rio que era Doce” foi um dos grandes momentos do desfile da Portela , em 2017. Totalmente em barro, um pescador em pranto, chorava a tragédia de Mariana, ocorrida em novembro de 2015. Mal poderíamos imaginar, que quatro anos depois, a lama jorraria, outra vez, sobre outra cidade mineira Brumadinho.

Ao invés da participação de varias pessoas no carro, a “alegoria viva”, dessa vez Paulo Barros, optou em colocar somente um ator, Alexandre Maguolo. Uma homenagem aos pescadores do Rio Doce, que ficou imerso em lama depois do rompimento da barragem.

O enredo da escola falava sobre a importância dos rios na vida humana, desde a formação das civilizações, o comercio e a urbanização. A necessidade de preservação estava explicitada de forma genial através do carro citado.

Um sucessão de tragédias/crimes estão aos poucos destruindo o que chamo de Brasil.

Que o grito do pescador recriado de forma genial, para o desfile campeão da azul e branco de Madureira, acorde o nosso povo!

Comentários

Comentários

Visitado 40 Times, 12 Vistas hoje

Post Relacionados