A mulher e os peixes

O ano era 1973 e o Parque do Anhembi, em São Paulo,foi transformado no maior coreto do Brasil. E numa demonstração de que estavam dispostos a rivalizar com os cariocas, os paulistas atraíram os grandes nomes das passarelas para desfilarem em sua cidade, dando assim um caráter nacional à sua festa. Concorrendo com a fantasia Copacabana, Meu Amor,de Evandro de Castro Lima, Ana Maria Sagres,atriz da tv Tupi, não se classificou na categoria originalidade feminina.A fantasia era uma alegoria à famosa praia carioca, com tons quentes da própria paisagem do bairro. As calçadas são representadas na barra do vestido.As camadas seguintes da saia,subindo até a cintura, representam a areia o mar e as espumas.Na cabeça o sol de Copacabana.Muito originais os peixes de plásticos.Talvez uma referência à colônia de pescadores ainda existente no posto seis.

Luís XV, Bornay e o súdito

Revivendo carnavais antigos, a Mocidade Independente desfilou o enredo Rio de Zé Pereira. Resgatando os carnavais cariocas de 1880 (quando houve o último baile de máscaras do teatro São Pedro ) a 1914, a escola mostrou o entrudo, os ranchos, pierrôs, arlequins e colombinas. Damas, nobres e príncipes também não faltaram, revivendo bailes de máscaras. Clovis Bornay além de carnavalesco,foi um dos destaques da escola com sua fantasia de Luís XV.Muitas críticas foram feitas com relação à caracterização do soberano francês. Teria sido pela ausência da flor de liz, símbolo da dinastia francesa? Quem sabe a cruz dos templIários esteja no figurino errado?Os braços desnudos evidanciando o corpo enxuto do desfilante e não o corpo público do rei? O excesso de glamour? Ou será que Luís XV nunca teve um súdito tão belo como o da versão tupiniquim. Inveja, tudo inveja…..

Por onde anda Gigi?

Sob chuva fina num domingo de carnaval em 1973, defendiam com garra a permanência de sua agremiação no primeiro Grupo das escolas de samba do Rio de Janeiro, dentre muitas agremiações os componentes da Em Cima da Hora. Passistas, ritmistas  e Gigi. Baseado nos romances em versos cantados no Nordeste, o maior destaque da escola ,a fantasia de Gigi , talvez representasse o Pavão Misterioso , não sei . Estava mais para uma rainha , soberana e poderosa , com seu olhar docemente superior . Por anda Gigi ?

Alegria Transbordante

`Alô, alô, Taí Carmem Miranda`, foi o enredo preparado pelo carnavalesco Fernando Pinto para a Império Serrano, em 1972. Com oito quadros, sendo o mais luxuoso o que representava o antigo Cassino da Urca,a Império foi a primeira escola a homenagear a cantora.Marília Pêra levou todo o elenco da peça A Pequena Notável para o desfile. Além de Marília, Tânia Sher, Leila Diniz, Isabel Ribeiro, Miriam Pérsia,Rosemary e Olegária representaram Carmem. Marlene, animadíssima, puxou o samba da Escola.Impressiona o flagrante de alegria transbordante eternizado na foto.(foto sem crédito publicada na Revista Cruzeiro).

Mulatas da Portela

A abertura do desfile da Portela no carnaval de 1973 causou impacto. Além da águia em movimento, havia também uma novidade para época: comissão de frente composta por 15 mulatas selecionadas pelo clube Renascença e quase todas ex-misses daquele clube. Terceira escola a desfilar, a Portela apresentou-se depois da Unidos do Jacarezinho e da Tupi de Brás de Pina. O enredo, Pasárgada,o Amigo do Rei, inspirado no poema de Manuel Bandeira movimentou a escola. Sem dúvida as mulatas do Renascença devem ter levantado a Presidente Vargas!